Incrível

Mulher passa por cirurgia para remover cisto de 33 kg!

Aviso: Este artigo contém imagens que alguns leitores podem achar perturbadoras 

Uma mexicana de 24 anos, que prefere permanecer no anonimato, estava tendo problemas com seu peso e resolveu fazer uma dieta. Ela percebeu que estava funcionando, pelo menos nos braços, pernas e rosto. Sua cintura, porém, não só permanecia grossa, como continuou a crescer. 

No início, ela não deu muita bola, mas, depois de um tempo, o problema não podia mais ser ignorado. O ganho de peso em volta do abdômen ficou tão ruim que parecia que ela estava grávida, mesmo não estando. 

Sua situação continuou a piorar até que sua barriga ficou tão grande que ela mal podia andar. Ela até começou a perder o apetite, mas, apesar de estar comendo pouco, ela continuava a ganhar peso. 

Não há médicos ou clínicas na área rural onde essa mulher vive, mas ela sabia que precisava de cuidados médicos. Então, ela decidiu ir até a Cidade do México para conseguir ajuda. A jornada levou um dia inteiro, e, quando chegou, ela encontrou o Dr. Erik Hanson Viana. Ele se lembra bem daquele primeiro encontro: "Quando eu a conheci, ela só conseguia andar alguns passos antes de ficar agitada e se sentir como se estivesse ficando sem ar."

Os primeiros exames levaram a um diagnóstico horrível: ela tinha um cisto no seu ovário, que tinha crescido a proporções gigantescas. 

O raio-x revelou um cisto tão grande, que estava de fato esmagando os órgãos da mulher. O ganho drástico de peso também tinha aumentado o risco de um ataque cardíaco. Estava claro que uma cirurgia era necessária imediatamente. 

Operar um cisto gigante é extremamente complicado, e não há um consenso geral entre a comunidade médica sobre como deve ser feito. Os médico deram à mulher duas opções: removê-lo imediatamente e por inteiro, o que deixaria uma enorme cicatriz desde o peito até a pélvis, ou drená-lo primeiro para deixá-lo menor e depois operá-lo. 

Ansiosa para tirar logo o caroço gigante de seu corpo, a jovem escolheu a primeira opção. "Ela não estava muito preocupada com a estética", o médico comentou. 

A cirurgia era muito arriscada. Como o Dr. Viana explicou: "A parede do cisto tem menos de 1 mm de espessura e não pode secar completamente, caso contrário, ele pode se quebrar facilmente." Isso tinha que ser evitado para prevenir que qualquer célula potencialmente cancerígena entrasse no corpo da mulher. 

A operação correu bem e o cisto foi removido com sucesso. E como ele era impressionante! Ele tinha quase 50 cm de diâmetro e pesava incríveis 33 kg: o equivalente a carregar 10 bebês na barriga! 

Um cisto é classificado como "gigante" se tiver 10 cm de diâmetro e pesar pelo menos 11,5 kg. Sendo assim, esse era absolutamente gigantesco. 

"Se não fosse operado, ele teria chegado ao ponto em que ela não poderia mais andar, ficaria gravemente desnutrida e incapaz de comer. É difícil dizer quanto tempo mais ela teria vivido, mas teria sido uma qualidade de vida muito ruim", explicou o médico. 

Com o caroço removido, o abdômen da jovem voltou ao tamanho normal. 

Mas o esticamento causado pelo cisto gigante deixou dobras enormes de pele. 

"Dois dias depois da cirurgia, ela saiu do hospital. Antes, ela estava acostumada a carregar 33 kg dentro dela por causa do cisto, então os movimentos eram como se ela estivesse levitando ou andando na lua", contou o médico. 

Seis meses mais tarde, a jovem voltou para uma consulta de acompanhamento para lidar com a cicatriz. 

"Ela estava completamente curada. Ela estava de pé, completamente ereta. Agora ela anda como uma pessoa normal, sem precisar de muletas ou qualquer ajuda, e seu abdômen está reto", afirma o médico. 

Essa pobre jovem sofreu e quase morreu simplesmente por não ter acesso ao atendimento médico necessário. Se houvesse um médico em sua vila, ela já teria sido diagnosticada há muito tempo, e poderia ter evitado um procedimento tão drástico e invasivo. É uma situação muito comum em todo o mundo. Mas se há uma lição aqui para aqueles que são mais afortunados, é para prestar atenção aos seus corpos e tentar buscar logo um diagnóstico para qualquer sintoma incomum